Notícias

OAB apura denúncias em presídio de Paraíso

09/11/2017 18h29 - Atualizado em 13/11/2017 14h47
Créditos: Divulgação
Movimentação de familiares dos presos nesta quinta-feira, 9 de novembro

A CDH (Comissão de Direitos Humanos) da OAB-TO (Ordem dos Advogados do Brasil no Tocantins) esteve, nesta quinta-feira, 9 de novembro, na Casa de Prisão Provisória de Paraíso para apurar denúncias de maus tratos a presos relatadas por familiares dos detentos. Depois de uma negociação que envolveu o presidente da OAB-TO, Walter Ohofugi, o advogado representante da Comissão, Silvano Lima Rezende, pode entrar no local e conferir a situação dos detentos.

A situação do presídio é muito complicada, pois além de problemas estruturais, há uma super lotação bem acima da média do restante do Tocantins. Com capacidade para pouco mais 50 presos, a unidade tem mais de 270 homens detidos.

“Com certeza, em um quadro deste as coisas tendem a se complicar e até sair do controle com muita facilidade. A CDH conversou com os presos, vai encaminhar ofícios à Defensoria Pública, ao MP (Ministério Público) e elaborar um relatório. O documento deve estar pronto no início da próxima semana”, explicou Silvano Lima.

O presidente da OAB de Paraíso, Valdeni Brito, reforçou a importância do diálogo, destacando que a visita da OAB para conferir as denúncias dos familiares foi permitida. “Um dos problemas que os parentes enfrentaram foi uma mudança no dia de visita. Mas isso aconteceu porque o novo secretário solicitou uma vistoria hoje em todos os presídios, inclusive aqui. Aí a visita, que seria nesta quinta-feira, foi alterada para terça-feira, 14”, destacou..