Notícias

Comissão de Diversidade da OAB/TO repudia atos de violência contra comunidade LGBT

08/07/2019 15h42 - Atualizado em 18/07/2019 16h15

Via ASCOM OAB/TO 
(Por Dani Braga)

A Comissão Especial da Diversidade Sexual da Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional Tocantins emitiu nota repudiando atos de violência praticados contra a população LGBT no Estado. O documento trata do assassinato de uma travesti no município de Araguaína. O corpo de Jéssica foi encontrado em frente a uma conveniência, no setor Entroncamento, alvejada por vários tiros.

“Atos de violência contra a vida de LGBTs são de extrema desumanidade e ignorância. A população de transexuais e travestis por imposição de um sistema preconceituoso vive, por muitas vezes, o desamparo das ruas e a exposição por simples questão de necessidade”, apontou o presidente da Comissão de Diversidade Sexual da OAB/TO, Landri Neto.

O Brasil ostenta a posição de líder mundial nas estatísticas de transfobia, de acordo com a ONG Transgender Europe. Só em 2017, foram 179 assassinatos. “Jéssica é mais um dado para uma estatística mortal e vergonhosa que nosso país sustenta. Esta comissão, em nome de toda a sociedade civil, irá acompanhar de perto o desenrolar das investigações deste crime bárbaro e revoltante”, completou Neto.

Estatística
A cada 48 horas, uma pessoa trans é assassinada em nosso país e, em 94% dos casos, as vítimas são do gênero feminino. Esses dados compõem o relatório da Associação Nacional de Travestis e Transexuais (ANTRA) e revelam um cenário criminoso e desumano.

Em defesa da sociedade
A OAB Tocantins, por meio de sua Comissão de Diversidade Sexual, tem trabalhado juntamente com as entidades que defendem a população LGBT pela plena garantia de direitos e cidadania, imperativo de nossa Constituição Federal que tem sido violado com atos tão selvagens e brutais. “Neste sentido, espera-se das autoridades policiais que tal fato contra a jovem Jéssica seja apurado e que seus algozes se submetam aos rigores da lei, tendo a citada comissão como observadora”, traz a nota assinada por Neto.



Confira a nota na íntegra


NOTA DE REPÚDIO


A Comissão de Diversidade Sexual da OAB-TO vem expressar o seu absoluto repúdio diante de mais um ato de extrema violência contra a população LGBT: o assassinato fútil de uma jovem travesti. O corpo de Jessica foi encontrado nesta quarta (03) em frente a uma conveniência, no setor Entroncamento, em Araguaína, alvejada por vários tiros. As investigações ainda estão em curso e não se sabe a motivação do crime, mas a atitude reiterada de ódio e intolerância que tem se perpetrado sistematicamente contra cidadãos e cidadãs cujas identidades de gênero diferem do que se entende supostamente como sendo maioria é preocupante.

O Brasil ostenta a vergonhosa posição de líder mundial nas estatísticas de transfobia, de acordo com a ONG Transgender Europe. Só em 2017, foram 179 assassinatos.
A cada 48 horas, uma pessoa trans é assassinada em nosso país e, em 94% dos casos, as vítimas são do gênero feminino. Esses dados compõem o relatório da Associação Nacional de Travestis e Transexuais (ANTRA) e revelam um cenário criminoso e desumano.

A OAB Tocantins, por meio de sua Comissão de Diversidade Sexual, tem trabalhado juntamente com as entidades que defendem a população LGBT pela plena garantia de direitos e cidadania, imperativo de nossa Constituição Federal que tem sido violado com atos tão selvagens e brutais. Neste sentido, espera-se das autoridades policiais que tal fato contra a jovem Jéssica seja apurado e que seus algozes se submetam aos rigores da lei, tendo a citada comissão como observadora.

Landri Neto
Presidente da Comissão de Diversidade Sexual da OAB/TO