Pesquisa mostra que quase 60% da advocacia quer retorno gradual do expediente presencial da Justiça do Tocantins

Via ASCOM OAB/TO

Por Dani Braga

Publicada em: 25/08/2020 - 09h 47min
Atualizada em: 03/09/2020 - 18h 44min

Dani Braga
Dani Braga

Pesquisa mostra que quase 60% da advocacia quer retorno gradual do expediente presencial da Justiça do Tocantins


53% respondeu que neste momento é preciso cobrar mais produtividade do Sistema Judiciário


 A Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional Tocantins realizou uma enquete de maneira virtual. A enquete ouviu 355 advogados e advogadas de várias regiões do Tocantins, entre os dias 19 até 24 de agosto. A proposta era saber qual o posicionamento da classe sobre o atendimento presencial da Justiça e as ações que considerava mais importante para serem defendidas pela OAB/TO neste momento de pandemia.

A enquete constatou que 59,2% dos advogados e advogadas que responderam querem o retorno gradual do expediente presencial do Judiciário do Tocantins. Outros 20,6% disseram que são a favor da manutenção da suspensão das atividades e 20,3%, defendem o retorno imediato e integral do expediente presencial da Justiça. 

A OAB/TO também questionou a advocacia sobre o que considera mais importante para a categoria neste momento de pandemia. Dos que responderam a pesquisa, 53% disseram que há a necessidade de se cobrar mais produtividade do Sistema Judicial. Outros 31,3% consideram que focar na assistência à advocacia o mais importante no momento. E o restante (15,8%) disse que é preciso exigir o cumprimento das prerrogativas neste período de pandemia. 

“De maneira democrática e transparente estamos ouvindo a advocacia, para que o desejo da maioria seja transformado em ação por parte da Ordem. A consulta é muito importante para direcionar os esforços da OAB/TO naquilo que é de maior interesse da categoria. Com o resultado, vamos começar um diálogo aberto e transparente junto ao Poder Judiciário do Tocantins para fazer com que as necessidades destacadas pela advocacia sejam atendidas”, pontuou o presidente da OAB/TO, Gedeon Pitaluga. 

Com o resultado da enquete em mãos, o presidente da Ordem irá agendar reuniões  com os principais órgãos que compõem o Sistema Judiciário para conversar sobre a possibilidade de planejamento de retorno gradual do expediente presencial da Justiça e para garantir a produtividade e a eficiencia do sistema judicial.